Aprendizados

RF - Tesouro Direto

27/04/2008



O que é?


O Tesouro Direto é um programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional em parceria com a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia – CBLC. Direcionado a pessoas físicas que queiram investir com segurança e tranqüilidade, o Tesouro Direto oferece a compra de títulos da dívida pública diretamente pela Internet, a partir de aproximadamente R$ 200,00.


Ao criar uma oportunidade para a pessoa física gerenciar os seus próprios investimentos de curto, médio e longo prazos com comodidade e segurança, o Tesouro Direto fornece opção para quem quer investir com baixo custo e elevada rentabilidade. A liquidez das aplicações é garantida pelas recompras semanais, por meio do qual o investidor pode resgatar os títulos seus recursos antes do vencimento ao preço do mercado secundário, ou seja, o preço negociado no mercado onde operam também os grandes bancos.


O rendimento da aplicação é bastante competitivo, quando comparado com as demais aplicações financeiras equivalentes existentes no mercado. Outro fator que diferencia este produto dos demais - além das taxas de administração e de custódia serem baixas - é que o Imposto de Renda só é cobrado no momento da venda ou vencimento do título. Ou seja, o poupador ganha todo o rendimento da capitalização dos juros até o momento do resgate. Em um investimento de prazo mais longo, essa vantagem se torna significativa.



Por que investir?



Investir para garantir vida tranqüila no futuro de modo a permitir a realização de sonhos, como a compra de um imóvel ou um carro, o auxílio nos rendimentos da aposentadoria, a educação dos filhos, viagens ...



Por que títulos públicos?


São várias as razões para o investimento em títulos: segurança, rentabilidade, facilidade para comprar e vender (praticidade e liquidez), dentre outros.


Antes de surgir a possibilidade de venda de títulos via Internet, os compradores dos títulos públicos restringiam-se a bancos, corretoras, distribuidoras e outras instituições financeiras registradas no Sistema Especial de Liquidação e Custódia - SELIC, com volume mínimo de compra de aproximadamente R$50.000,00. As pessoas físicas compravam títulos apenas indiretamente, por meio de fundos de renda fixa, cujas carteiras são compostas em grande parte por títulos públicos.


A compra pela Internet, aliada ao valor mínimo necessário para o investimento de aproximadamente R$ 200,00, visa democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo que pessoas físicas tenham mais uma opção de investimento.



Títulos que poderão ser comprados



A princípio, poderão ser comprados os seguintes títulos públicos pela Internet:


* LTN - Letra do Tesouro Nacional: título com rentabilidade definida (taxa fixa) no momento da compra. Forma de pagamento: no vencimento;

* LFT - Letra Financeira do Tesouro: título com rentabilidade diária vinculada à taxa de juros básica da economia (taxa média das operações diárias com títulos públicos registrados no sistema SELIC, ou, simplesmente, taxa Selic). Forma de pagamento: no vencimento;


* NTN-B – Nota do Tesouro Nacional – série B: título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal);


* NTN-C – Nota do Tesouro Nacional – série C: título com rentabilidade vinculada à variação do IGP-M, acrescida de juros definidos no momento da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal);


* NTN-F – Nota do Tesouro Nacional – série F: título com rentabilidade prefixada, acrescida de juros definidos no momento da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no vencimento (principal).




Como comprar e vender



As compras e vendas de títulos são efetuadas na área exclusiva do Tesouro Direto e podem ser realizadas diretamente pelo Investidor ou através de um Agente de Custódia, mediante sua autorização. Em ambos os casos o Investidor deve ser cadastrado no Tesouro Direto por um Agente de Custódia da CBLC.



Os investidores podem efetuar suas compras no Tesouro Direto por três formas distintas:


* Diretamente no site do Tesouro Direto: o próprio investidor, com sua senha individual, acessa o ambiente restrito do site Tesouro Direto (www.tesourodireto.gov.br) e realiza diretamente as negociações com títulos públicos;


* Via um Agente de Custódia: o investidor autoriza o Agente de Custódia a negociar títulos públicos em seu nome no site do Tesouro Direto (www.tesourodireto.gov.br), da mesma forma como ocorre no mercado de ações. Essa opção é ideal para o investidor que não tem acesso à Internet ou que, por algum motivo, não deseja comprar pessoalmente;


* Diretamente no site do Agente de Custódia: alguns bancos e corretoras habilitados integraram seus sites ao do Tesouro Direto, possibilitando aos investidores a realização das negociações no próprio site da instituição financeira. Desta forma, as compras são realizadas somente no site da instituição financeira, cujos títulos, preços e taxas refletem os mesmos do site do Tesouro Direto em tempo real. (disponível somente em algumas corretoras e bancos)



O Investidor, ao acessar diretamente a área exclusiva do Tesouro Direto, deve informar a quantidade ou valor financeiro de cada Título que pretende comprar ou vender. Após a escolha de todos os Títulos, o sistema confere os limites por CPF, verifica a disponibilidade dos títulos e solicita a confirmação do Investidor.


Após a confirmação da compra do título, o sistema do Tesouro Direto informará a data limite em que o investidor deve ter disponíveis os recursos na conta do Agente de Custódia. O investidor deverá entrar em contato com o seu Agente de Custódia para saber os dados da conta, na qual deve ter disponíveis os recursos. No caso dos investidores cadastrados por bancos integrados ao sistema do Tesouro Direto, não haverá qualquer modificação.





Confira também o nosso FAQ (Questões mais Frequentes).