Aprendizados

19 regras operacionais para se tornar um Vencedor - II

27/04/2008


... continuação...

 

 

11. Nunca Entre numa Operação sem Primeiro Estabelecer a Relação Risco/Recompensa

 

 

Não é possível fixar uma relação matemática específica dos lucros esperados frente ao prejuízo máximo aceitável em todos os casos. A decisão deveria ser tomada considerando-se a proporção de capital exposta ao risco numa operação em particular ou investimento. Outro fator se relaciona com a característica pessoal de cada investidor.

Investidores avessos a risco não deveriam procurar investimentos de alto risco associados a altos ganhos, e vice-versa. Risco é sempre relativo. O que é financeiramente uma ameaça de risco para alguns pode ser oportunidade de ganhos para outros. Falando em geral, você deveria usar uma boa dose de bom senso, tendo certeza de que a razão é de ao menos 3-1.

 

 

12. Corte as Perdas, Deixe os Lucros Crescerem

 

Esta regra, provavelmente, é a mais conhecida de todas. Também é uma das mais importantes.

Entramos em qualquer operação com o objetivo de lucrar, então, quando a operação vai contra nós, é natural sentirmos algum tipo de dor emocional. Muitos preferem ignorar as perdas, racionalizando que o mercado voltará.

 

Outras vezes justificamos a queda dizendo que o mercado caiu com “baixo volume”, “ele pode ter caído, mas a atividade foi boa e vou segurar mais um pouco”. Outra desculpa favorita vem da racionalização da razão da queda. “Foi uma série de notícias ruins, mas surpreendeu como o mercado caiu apenas 50%; obviamente está muito forte tecnicamente”.

É surpreendente como podemos jogar com as nossas emoções de modo que justifiquem quase tudo. Isto ocorre porque queremos ver o preço subindo (ou caindo se estivermos vendidos), mas nós também esquecemos ou optamos por ignorar que o mercado está para se mover em direção contrária à desejada por nós.

O mercado é totalmente objetivo, os participantes é que são emocionais. Esperamos por uma subida, mas não há nenhum elemento que justifique esta situação, a não serem pelos nossos desejos, próximos de sonhos ou acima de qualquer julgamento.

 

Precisamos lembrar-nos que, se o mercado caiu quando esperávamos que subisse, é uma advertência de que a análise original está inconsistente. Se isto ocorre, então não há razão lógica para ainda estarmos na posição. Deveríamos liquidar a operação e assumir nossos prejuízos.

 

Isto não significa que, cada vez que entrar numa operação e ela vier contra nós, deveríamos vender.

 

Um bom trader estabelecerá o potencial da recompensa e definirá o risco aceitável antes de abrir sua posição. Parte da aceitação do risco envolve a possibilidade e mesmo a probabilidade de que o mercado cairá antes de subir.

 

Seria de um otimismo extremo da nossa parte esperar que cada operação se tornasse imediatamente lucrativa. Não, a regra sobre cortar as perdas refere-se até o ponto em que este risco aceitável é excedido, que é quando o mercado está nos dizendo que nossa análise original foi falha.

 

Mesmo após estes níveis de estope previamente definidos terem sido excedidos e ter sido estopado, ainda fica uma sensação de volta.

 

Ainda que o mercado tenha dado a sua decisão, não gostamos de aceitar que nossas esperanças e certezas não mais se realizarão. Em tais circunstâncias, a tentação é quebrar a auto-imposta disciplina e voltar para o mercado. Freqüentemente isto é feito num nível mais alto do que aquele em que ocorreu a liquidação. Preços ascendentes lembrem-se, geram confiança.

 

Entretanto, minha experiência tem sido que, se um estope cuidadosamente bem escolhido foi atingido, raramente vale a pena voltar. Na maioria das vezes, teria sido mais lucrativo reverter para o outro lado (venda), mas muito poucas pessoas possuem agilidade mental para fazer isto.

 

Cortar as perdas é uma técnica fundamentalmente importante na administração dos seus recursos, porque lhe ajuda a proteger seu capital e, portanto, capacita-o há lutar outro dia. Deixar os lucros correrem realmente envolve o mesmo princípio de cortar as perdas.

 

Quando o mercado excede o seu ponto de interrupção para baixo (seu estope), está advertindo-o que cometeu um erro. Por outro lado, tanto quanto a tendência geral movimenta-se a seu favor, o mercado está lhe dando um voto de confiança, de modo que deverá continuar com a posição e deixar seu lucro crescer.

 

Há um ditado famoso que diz “a tendência é sua amiga”. Com efeito, isto é outra maneira de nos dizer para deixar que nossos lucros cresçam.

 

Tendências, uma vez em andamento, têm o hábito de perpetuar-se, mas ninguém sobre a terra pode prognosticar sua magnitude ou duração, independente do que possa ler nos “newsletters” e na mídia.

 

Tanto quanto sua análise ou metodologia indique que a tendência continua a mover-se a seu favor, você tem poucas áreas para vender, a menos que seja para realizar algum lucro parcial. Os mercados gastam muito tempo indo e vindo sem sair do lugar, numa congestão, em geral confusa, frustrante e pouco lucrativa para permitir que o trader se dê ao luxo de sair fora, prematuramente, de uma tendência em movimento.

 

O problema é que muitas pessoas, quando têm um lucro, querem realizá-lo agora e pronto. A lógica baseia-se na teoria de que é melhor fazer caixa agora; de outro modo o lucro irá embora. Certamente é verdade que você nunca quebrará por realizar lucro.

 

Infortunadamente, cada trader ou investidor não pode evitar posições perdidas. Uma situação de lucro líquido positivo só pode ser atingida se as operações lucrativas sobrepujarem as negativas, e usualmente poucas operações altamente lucrativas mantêm a posição dos traders. Entretanto, realizando lucro muito cedo, geralmente limita seu potencial de ganho.

 

É interessante como muitas pessoas são avessas ao risco quando estão ganhando e o procuram quando estão perdendo. Elas preferem um ganho pequeno, mas certo, e relutam em participar de uma aposta esperta, com maior potencial de ganho. Por outro lado, elas estão mais dispostas a expor seu capital ao risco de uma grande perda incerta do que a um pequeno ganho certo.

 

 

 

13. Faça Numerosas Pequenas Apostas Sobre Idéias de Baixo Risco

 

Desde que uma alta proporção de suas operações inevitavelmente não serão proveitosas, é uma sábia política fazer pequenas apostas, de modo que uma parcela substancial do seu capital não fique exposta em só uma operação.

 

Como uma regra geral, não é aconselhável arriscar mais do que 5% do seu capital disponível em uma única operação. Isto vai contra a tendência natural de muitos de nós. Na nossa busca por grandes e rápidos lucros, parece mais fácil e mais lógico colocar todo nosso dinheiro sobre um cavalo.

 

Também é importante estar certo que qualquer operação ou investimento que você faça seja cuidadosamente pensado num ambiente de pouco risco. O potencial da recompensa estimada deverá ser muito maior (ao menos 3-1) do que o risco máximo aceitável.

 

 

14. Olhe Para Baixo, Não Para Cima

 

A maioria das pessoas entra numa operação a partir do cálculo de um lucro provável e cria suas expectativas a partir desta suposição. Como resultado, elas estão preparando para si uma situação de provável desapontamento. A questão a se perguntar antes de iniciar uma operação é “O que de pode acontecer de pior?”

Olhando para baixo e não para cima, você está se dirigindo para o que deve ser seu objetivo número um: preservar seu capital. Se você erodir a base do seu capital, então você não deixará nada para que possa crescer.

Quase todos os traders perdem na mesma relação com que ganham. Os vencedores são os que fazem mais operações vencedoras, mas o mais importante é perder menos nas mal sucedidas. Olhando para baixo, eles estão, sem dúvida, estimando onde deveriam interromper suas perdas à frente do tempo. Se o potencial da margem de erro provar ser muito grande, simplesmente não fazem a operação.

 

 

 

15. Nunca Opere ou Invista Mais Do Que Possa Perder Razoavelmente

 

Em qualquer momento em que coloca seu capital em risco você não pode se dar ao luxo de perder, pois você estará à mercê do mercado.

Seu nível de estresse estará muito alto, e você perderá toda objetividade. As decisões serão emocionais porque estará focado sobre ganhos monetários e as dolorosas conseqüências psicológicas de um prejuízo, e não se baseando em fatos como, na realidade, eles são.

 

 

 

16. Não Enfrente a Tendência

 

Existe uma máxima que diz: “Uma corda para cima levanta qualquer navio”. Em linguagem do mercado significa que é melhor estar operando na direção do mercado, se o mercado sobe, trazendo como efeito o crescimento de todas as posições compradas.

 

Estar vendido num mercado de alta, entretanto, engloba um risco considerável; por definição, a não ser que você seja ágil demais para realizar seus lucros no momento certo, um prejuízo será certamente iminente.

 

O oposto será verdadeiro para um mercado que cai, quando as reações são esporadicamente imprevisíveis e tenebrosas.

 

Se você estudar a grande maioria dos resultados de grande parte do sistema de operação verá que, inevitavelmente, os resultados advêm de posições que são montadas na direção oposta da tendência principal.

Obviamente, você nem sempre terá uma opinião firme a respeito da direção primária, mas quando você a tiver, estará muito mais sensível a não operar contra ela.

 

 

17. Sempre que possível Opere Mercados Líquidos

 

Geralmente, você deverá operar somente mercados líquidos, ou seja, aqueles em que a diferença entre preço de compra e venda seja bastante próximo.

Operar em mercados estreitos ou ilíquidos significa que, além do pagamento de comissões a corretores, você também está pagando, de alguma forma, o custo destes “spreads” muito largos.

Você poderá pensar que isto poderá ser superado através de uma espera paciente para compra a um determinado preço, em contrapartida à colocação de ordens a preço de mercado.

 

 

18. Nunca se Coloque Diante de uma Chamada de Margem

 

Esta regra muito importante se aplica somente aos operadores alavancados. Chamadas de margem acontecem por dois motivos.

 

Primeiro, o mercado está contra você, ou seja, você se encontra com insuficiência de fundos na sua conta. Segundo, a chamada de margem do ativo que você tem em sua posição aconteceu porque ela simplesmente foi elevada por novas regras.

No momento de chamada pelo seu corretor terá duas alternativas: primeira - regularizar com recursos o nível de suas garantias; segundo - reduzir a sua chamada pela liquidação de parte ou de sua posição total.

Para tomar a decisão correta, você deverá examinar a situação de suas contas neste momento desconfortável. Em qualquer uma das situações o efeito será um incremento emocional do seu comprometimento, e, por conseguinte, uma situação indesejada. Em situações de desconforto como neste caso, a melhor coisa a fazer é se retirar completamente do mercado por um período, de forma que as suas ondas emocionais se acalmem e a objetividade seja restabelecida.

 

 

 

19. Quando For Colocar um Estope Utilize a Lógica, Não a Conveniência

 

Operadores geralmente seguem a disciplina de pré-determinarem o nível de perda e risco pela colocação de um estope ligeiramente abaixo daquele ponto. Se este ponto foi determinado através de uma razão técnica ou análise fundamentalista, isto representa um método inteligente de operação.

 

 

Entretanto, se iniciar uma operação em bases de que você não pode perder, por exemplo, mais do que $300, e coloca seu estope no limite que represente este valor, as suas chances de obter uma operação ganhadora serão drasticamente reduzidas.

Neste momento você não está tomando decisões baseadas em movimento de preços, onde o mercado tem a oportunidade de lhe mostrar que está errado. Contrariamente, você está arbitrando um ponto baseado no seu julgamento de quanto você pode vir a perder.

 

 

Martin J. Pring: “Investment Psychology Explained”

 

 

Tradução resumida de parte do capítulo 12

 

Editado pela “John Wiley & Sons, Inc.”





Confira também o nosso FAQ (Questões mais Frequentes).