Aprendizados

Commodity: Prata

04/09/2009


A prata (Ag) é um elemento metálico precioso que, em seu estado natural, apresenta-se branco e brilhante. Além de ser utilizado para a confecção de jóias e moedas, as propriedades químico-mecânicas de seus compostos inorgânicos e de suas ligas permitem a sua aplicação em vários setores da economia.

 

Apesar da utilização deste metal de transição por um número crescente de indústrias, o mercado mundial de prata é extremamente modesto quando comparado às outras commodities metálicas. Com status de insumo industrial e não de metal precioso, o preço da prata tem estado subvalorizada por décadas. O último grande surto de interesse por esta commodity foi registrado em 1979, quando os irmãos Hunt aliaram-se a um grupo de investidores árabes e compraram 200 milhões de onças de prata, o equivalente a metade do suprimento global da época. Ao longo daquele ano, a cotação da onça do metal nos Estados Unidos saltou de cinco para cinquenta e quatro dólares. Esta bolha estourou em 1980, gerando perdas de até 50% em um mesmo dia.

 

Desde então, o mercado mundial da prata vem sofrendo grande depreciação: a cotação da prata nas bolsas de mercadorias internacionais é quase irrisória quando comparada à cotação do ouro, o mercado global da prata movimenta anualmente um valor monetário cinco vezes menor do que o golden market e o nível de produção da commodity encontra-se em um estágio bastante elementar.

 

Atualmente, há muito mais demanda pela commodity prata do que oferta no mercado internacional. A possibilidade de aumento da oferta de prata é limitada pelo fato de sua produção, no estágio atual, ser apenas um subproduto da extração de outros minerais, como o zinco e o chumbo. Caso a procura por esta matéria-prima continuar a crescer no ritmo atual, os preços desta commodity tendem a explodir.

 

A produção mundial de prata apresentou um desenvolvimento regular desde a segunda guerra mundial. O crescimento médio da produção de prata no mundo foi de 1.5% neste período. A produção deve apresentar um aumento de pelo menos dez milhões de onças de prata todos os anos para atender à crescente demanda.

 

As principais áreas de mineração de prata do mundo se encontram na América do Sul, nos Estados Unidos, na Austrália e na antiga União Soviética. O maior produtor individual de prata é provavelmente o México, onde a prata tem sido minerada desde aproximadamente 1500 d.c. até hoje. A melhor prata natural, que ocorre na forma de arame torcido, é a de Kongsberg, na Noruega.

 

Nos últimos anos do século XX o México, Peru, Austrália, Estados Unidos e Canadá eram os grandes produtores mundiais. Somente a Rússia, com suas reservas nos Urais e na Sibéria, produzia quantidades comparáveis. Os cinco primeiros países produtores de prata são responsáveis por 60% da produção mundial da commodity. Entre os principais produtores mundiais desde 1935, o México e o Peru juntos, respondem por um terço de toda a prata produzida globalmente. Os Estados Unidos e o Canadá, respectivamente primeiro e segundo produtores mundiais de prata até a década de 60, apresentaram uma drástica e irreversível redução de sua produção desde então, provocada pelo esgotamento crescente de seus jazigos de prata arduamente explorados nos últimos cento e cinquenta anos.

 

Outros países produtores de prata são a China, a Austrália, os EUA, o Canadá, o Cazaquistão, a Rússia, a Suécia, o Marrocos, a Indonésia, o Uzbekistan, o Brasil, a África do Sul, a Coreia do Norte, o Japão e a Espanha. O Brasil é importador de prata, pois sua produção, que provém do refino do ouro, do Morro Velho e das metalurgias de chumbo e zinco ainda é bastante pequena.

 

Os principais contratos futuros da commodity prata são negociados na Bolsa de Mercadorias de Nova Iorque (COMEX) e na Bolsa de Mercadorias de Tóquio (TOCOM). O preço dos futuros negociados internacionalmente é expresso em dólares por onça troy (oz troy), que equivale cerca de 31/10 gramas.

 

No Brasil, não há negociação de prata em mercado de bolsa e, mesmo no mercado de balcão, os volumes negociados são irrisórios. O metal, a rigor, nem mesmo é considerado um ativo financeiro.

 

Fonte: Wikipedia





Confira também o nosso FAQ (Questões mais Frequentes).