Aprendizados

ADR - American Depositary Receipts

26/04/2008


A cada dia que passa, os níveis de remuneração de Capital lá fora estão cada vez mais minguando... Com isso muitos investidores estrangeiros estão cada vez mais interessados em buscar oportunidades mais especulativas nas economias dos países emergentes.

 

Nessa onda, aproveitando tal interesse e facilitando o acesso desses investidores ao capital de empresas nacionais (e dessa forma aumentando a captação de recursos externos) as grandes companhias brasileiras utilizam uma ferramenta muito comum nesses casos: os ADRs (American Depositary Receipts).

 


Trata-se de recibos de depósito norte-americanos, que representam ações de empresas estrangeiras, não negociáveis no país das empresas emissoras.

 


Emitir um ADR significa que a empresa lançou títulos no mercado interno e no externo. Muitas vezes isso ocorre porque o mercado interno não consegue comportar a demanda pela captação que a empresa precisa pra suprir seus investimentos .

 


Relacionamos três tipos de programas de ADR que se diferem pelo objetivo que a empresa pretende com a emissão, quantidade de exigências feitas pelas autoridades nacionais, como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e, internacionais, como a Securities Exchange Commission – SEC (a CVM norte-americana) .

 


O enquadramento vai depender do objetivo da empresa emissora. Normalmente, a empresa que entra no programa nível 1 quer apenas ser mais conhecida no exterior, para facilitar futuras captações. Esta é a maneira a mais conveniente para que uma companhia estrangeira obtenha a autorização para comercialização dos seus ativos nos Estados Unidos.

 


Não se trata de nova captação de recursos e sim, disponibilização dos ativos que a Companhia tem em carteira no outro país e serão negociados somente no mercado de “Balcão*”. A companhia não é obrigada a emitir a publicação do balancete trimestral nos padrões contábeis americanos.

 


No nível 2, a empresa já tem pretensões maiores, e portanto os critérios passam a ser mais complicados para uma companhia estrangeira. As informações contábeis devem ser muito mais detalhadas e necessariamente atender os padrões de contabilidade Americana (GAAP), afinal passarão a ser negociadas em Bolsa, tendo de cumprir as exigências da SEC (americana).

 


O nível 3 é o mais completo e oneroso. Estamos falando de emissão de Novos Papéis e este é o nível mais elevado que uma companhia estrangeira pode ter. Requer todas as análises/ aprovações possíveis, extremamente burocrático, e conseqüentemente pode demorar meses para se obter a autorização.

 


* O Mercado de Balcão tem como principal finalidade servir como um estágio para as empresas que desejam ter suas ações negociadas em bolsa. São empresas que ainda não possuem porte econômico que justifique registro em uma bolsa de valores (que acarreta em custos onerosos para a companhia), que demandam de um período para se adaptar às normais mais exigentes e cujas ações ainda não possuem liquidez.

 

Fonte: Infomoney





Confira também o nosso FAQ (Questões mais Frequentes).